Inventário

Escrito por : <b>Hirbis Girolli</b>

Escrito por : Hirbis Girolli

Quando se fala em inventário, há dois significados possíveis: um relacionado ao universo do direito e outro que se refere à contabilidade e finanças.

No primeiro caso, o termo faz referência à partilha de bens de pessoa falecida. 

No segundo, ao levantamento de informações patrimoniais de uma empresa.

Neste conteúdo, você vai entender o que significa e como funciona o processo inventariante empresarial.

Esta é uma informação importante não apenas para quem está à frente de um negócio.

Afinal, interessa também ao investidor que busca fundamentos sobre a saúde financeira de companhias, avaliando a compra de suas ações na bolsa de valores.

Siga a leitura para saber mais!

E não deixe de ver: no final do texto, sempre respondemos algumas das perguntas mais importantes sobre cada termo do Dicionário Finantor.

O que é inventário?

Inventário é o processo de coleta e categorização de informações sobre bens patrimoniais de pessoas físicas e/ou jurídicas.

Então, de forma simplificada, ele é a listagem de imóveis, saldo em conta bancária, estoques, créditos a receber e qualquer outro patrimônio de um indivíduo ou organização.

Empresas fazem o processo de inventário a fim de conferir sua condição patrimonial. 

Elas podem realizar o levantamento a cada ano e, por exemplo, avaliar a variação de estoque anual.

Já o inventário de pessoas físicas é realizado com mais frequência após a morte dos indivíduos. 

Assim, ele é um documento que reúne todo o patrimônio do falecido e permite a divisão da herança de maneira adequada.

Por aqui, vamos focar no processo inventariante de empresas. Então, acompanhe e veja mais informações sobre ele.

Como funciona um inventário?

Será que patrimônio é só aquilo que uma pessoa ou organização efetivamente tem? 

Na realidade, as contas patrimoniais são divididas em dois grandes grupos: ativo e passivo.

No ativo, constam os bens e direitos da empresa. Imóveis, carros e contas a receber são alguns exemplos de ativo empresarial.

Por outro lado, o passivo reúne as obrigações financeiras que o negócio tem, como dívidas, empréstimos e despesas.

Além disso, devemos considerar o patrimônio líquido, que acumula lucros e prejuízos da empresa ao longo dos períodos.

Nesse sentido, o inventário pode ser feito sobre o ativo ou passivo. 

Contudo, caso o negócio deseje realizar uma análise mais aprofundada, pode inventariar todas as contas patrimoniais.

Dúvidas importantes sobre inventário

Ainda tem questões a fazer sobre o inventário? Acreditamos que elas serão respondidas agora.

Acompanhe as dúvidas mais frequentes no tema!

Como fazer um inventário?

O levantamento pode ser realizado em 4 etapas:

  1. Listagem
  2. Classificação
  3. Descrição
  4. Avaliação

Na listagem, todo o patrimônio é contabilizado. Essa é uma fase geralmente demorada e que demanda bastante atenção.

Em seguida, é a vez da classificação. Com a lista completa, cabe à equipe criar categorias e subcategorias para as contas patrimoniais.

Então, faz-se a descrição dos itens levantados, a fim de facilitar o processo seguinte.

Por fim, é hora de colocar “preço” no patrimônio. Na etapa final, os bens recebem valores monetários para a avaliação completa da situação patrimonial.

Quais os modelos existentes de inventário?

Os inventários podem ser simples ou classificados – categorizando os itens. Mas, além disso, o levantamento também pode ser:

  • Geral – com todas as contas
  • Parcial ou dinâmico – considerando apenas elementos essenciais
  • Anual – um geral ou parcial realizado periodicamente, a cada fim de período empresarial. 

Qual a finalidade de um inventário?

No caso do inventário realizado sobre herança, a finalidade é fazer a divisão correta dos bens entre os herdeiros, como falamos.

Já o processo inventariante empresarial é importante para fazer avaliações periódicas sobre os bens, direitos e deveres de uma empresa.

Dessa forma, o gestor terá os dados para avaliar ganhos e perdas, além de números para tomar decisões.

Se as dívidas aumentaram muito de um ano para o outro, por exemplo, ele deve buscar o motivo. 

Caso o nível de estoque tenha crescido acima do esperado de um período a outro, o gestor deve encontrar soluções para aliviar o “dinheiro parado”.

Nunca esquecendo também que o dado patrimonial integra a análise fundamentalista de ações de empresas listadas na bolsa.

Para o investidor em renda variável que se interessa pela compra de ações, conhecer os resultados do inventário diz muito sobre a saúde financeira da companhia e perspectivas de médio/longo prazo.

Se você gostou do conteúdo, continue a descobrir mais sobre os principais termos do universo financeiro pesquisando no Dicionário Finantor.

Hirbis Girolli

Hirbis Girolli

Fundador da Plataforma Finantor

Comentários

    Artigos Relacionados